RSS

Arquivo da tag: dr pet

Perguntas frequentes sobre cachorros

Algumas perguntas são bem frequentes entre a maioria dos donos de cães, mas pra quase tudo nessa vida há respostas. Basta achar a pessoa certa pra responder, né? Vi no bilbops.multiply.com as perguntas que eles fizeram para Alexandre Rossi, que respondeu tudo na exclusiva. Confira:

Por que os cães gostam de por a cabeça para fora da janela do carro?
Alexandre: “O carro não é vedado, portanto o cão é submetido a uma série de cheiros e estímulos em um passeio motorizado. O ato de colocar a cabeça para fora tem basicamente dois motivos: o cachorro é estimulado pelos milhares cheiros que o vento trás diretamente ao focinho e, além disso, a sensação de ‘vento no rosto’ é gostosa para o animal, já que a maioria dos cães sente muito calor”.

Boca aberta é sinal de sede sempre?
Alexandre: “Não, as pessoas se enganam muito. A maioria dos cachorros mantém a boca aberta para amenizar o calor que sentem e nem sempre estão com sede. Uma maneira de saber se o cão está com sede é perceber se ele se mantém muito ofegante. Se você colocar água ao lado do seu amigo e ele desprezar, não se preocupe. Se esse não for um hábito constante, ele apenas está com calor. Caso contrário, leve seu bicho a um veterinário”.

Por que os cães andam em círculos antes de deitar?
Alexandre: “Há algumas hipóteses para responder essa pergunta. Como o tato do cachorro está nas patas, ele circula a região antes de deitar para verificar se a superfície está livre de obstáculos que gerem desconforto. Alguns bichos cavam um pouco a grama para chegar perto da terra úmida e ter um ninho mais fresco para descansar. Além disso, eles procuram ao rodear, sentir a direção do vento, para deitar-se com o focinho virado para ele. Assim, se um intruso ou perigo se aproximar, o cachorro será acordado pelo cheiro em sua direção”.

Por que os cachorros se lambem e lambem uns aos outros?
Alexandre: “A lambida está ligada a um estímulo da pele, como se fosse uma massagem. Nos filhotes, por exemplo, se a mãe não lamber as partes genitais dos filhos para estimular a evacuação, eles acabam morrendo porque não fazem as necessidades. Em geral, a lambida do cão nele mesmo é uma automassagem. Quando o cão não pára de se lamber chegando inclusive a se ferir, trata-se de um comportamento compulsivo por estresse. Daí você deve levar seu bicho ao veterinário”.

Por que os cães enterram objetos?
Alexandre: “Algumas raças tem a característica comum de esconder comida para estocar. Cães caçadores, por exemplo, fazem isso de maneira constante. O ato de cavar também está associado a buscar algo pelo cheiro, por exemplo, procurar um osso enterrado por outro cachorro. Além disso, para eles cavar é muito divertido já que eles descobrem outros cheiros e novos seres como minhocas e formigas. Outros bichos ainda cavam para preparar o lugar para deitar”.

Por que cães perseguem gatos?
Alexandre: “O cão é um animal predador e o gato se comporta como uma presa perfeita já que o comportamento dele estimula o instinto de caça do cachorro. O cão adora esse comportamento do gato, que se arrepia quando o vê e tenta fugir. Entende isso como uma brincadeira e passa a registrar que é assim que deve ser, cachorro deve correr atrás de gato e pronto”.

Por que alguns cães correm atrás do próprio rabo?
Alexandre: “Correr atrás do rabo está ligado a um alívio de ansiedade. Quando o cão está muito ansioso procura algo para se divertir e essa atividade ocupa seu tempo. Portanto, não subestime a inteligência de seu amigo, ele não faz isso porque é bobo. Apenas quando essa ação é muito constante vira compulsivo, daí é necessário procurar um especialista”.

Outras dúvidas como as abaixo, o bilbops.multiply.com tirou de um livro que é sucesso no mundo todo: Por que os Cães são Assim, de Tom Davis, editado no Brasil pela Publifolha.

Por que cães adultos mastigam ossos, tapetes e móveis?
Mastigar itens proibidos é uma forma de chamar a atenção do dono. Para o cachorro é melhor se arriscar a receber uma bronca do que permanecer invisível. O fato de roer ossos é um instinto primitivo deles, já que se trata de uma maneira de limpar os dentes e manter as gengivas saudáveis.

Por que os cães insistem em dormir na cama com você?
Que ser não teria amor-próprio e iria preferir o chão gelado e duro a uma cama quente e macia e ainda do seu lado? Eles preferem porque depois que sentem o conforto disso, imaginam que aquele é um local privilegiado e portanto, seguro e repleto de amor, lugar em que de qualquer maneira, conseguem a atenção total do dono.

Por que os cães parecem entender nosso estado de espírito?
Os cães conhecem seus donos e são capazes de ler linguagem corporal e captar sutis inflexões de voz, maneira e conduta de maneira extraordinária. Os cães são muito empáticos, capazes não só de entrar em sintonia com nosso comprimento de onda emocional, mas de nos dar tudo o que precisamos: uma lambida, um carinho ou consolo.

Por que os cães adoram morder chinelos e sapatos?
Cães adoram morder, para eles é um exercício. Geralmente, chinelos e sapatos se encaixam perfeitamente na boca dos cachorros e são atrativos perfeitos visto que possuem cheiro tentador. Além disso, os sapatos são flexíveis e constituem o brinquedo perfeito ou a forma eleita de chamar a atenção do dono, como já dissemos anteriormente.

Por que os cães machos levantam a perna para urinar?
Simplesmente por dois motivos: eles levantam a pata para evitar que a urina escorra para a outra pata e procuram urinar o mais alto possível para marcar o território e anunciar a outros cães que ele esteve ali. Portanto, é verdade, o macho urina mais para demarcar seu espaço a outros, em uma competição entre meninos que é constante.

Por que os cães sobem na perna de visitas?
Esse é o modo que a natureza tem de prepará-los para o ato sexual, em outras palavras, só a prática leva à perfeição, e para os cachorros não é diferente. Algumas fêmeas costumam arquear a perna, quase que tentando determinar sua identidade sexual quando novinhas.

 
9 Comentários

Publicado por em 30 de outubro de 2012 em Comportamento, Curiosidades

 

Tags: ,

Diferença entre psicologia canina e humana

Quem conhece o encantador de cães, Cesar Millan, e o Dr. Pet, Alexandre Rossi, já deve ter percebido a diferença entre a psicologia canina e a humana. São dois famosos especialistas, mas um trabalha com comportamento e estado mental e o outro, com adestramento.

Mundo Cão no Twitter e no Facebook

A diferença:

A psicologia canina é baseada no comportamento e no instinto do cão. O animal dá sinais que devem ser compreendidos e a partir disso, trabalhados.

Nesse caso, a reabilitação (e não adestramento) do cão é baseada no que ele precisa e quer, mas não de forma mimada. Quando um cachorro está ansioso, agressivo, obsessivo isso significa que algo está errado e que seu dono não está compreendendo o que ele quer.

Para trabalhar com psicologia canina, devemos ser calmos e assertivos (como diz Millan), compreender os sinais e trabalhar como um cão trabalharia – fazendo sons, gestos e usando posturas de cães.

Cesar Millan usa os dedos para “morder”, usa o “xiiii” como um rosnado e ensina as pessoas a serem líderes do bando (família). O humano se torna cão.

Já a psicologia humana é baseada no que o ser humano quer e no comportamento humano. Nós é que passamos sinais do que queremos, mas antes ensinamos ao cão como compreender.

Quem trabalha com a nossa psicologia é chamado adestrador. Através de recompensas o cão acaba aprendendo alguns comandos, fazendo com que o comportamento agressivo, obsessivo ou ansioso seja administrado.

O Alexandre trabalha dessa forma. Seus instrumentos são: petiscos, brinquedos, borrifador de água, biribinhas, e outro objetos humanos. O cão é humanizado.

Para entender melhor, você pode comparar o trabalho de um adestrador e de um psicólogo canino. Para ver o Alexandre Rossi em ação, assista Missão Pet às quartas-feiras – 22h30 no NatGeo. E para conhecer o trabalho do Cesar Millan, veja ‘O encantador de cães’ no Animal Planet diariamente às 21h.

 
1 comentário

Publicado por em 8 de agosto de 2012 em Adestramento, Comportamento, Sem categoria

 

Tags: , , , , , ,

A importância dos brinquedos para cães

Quando nascem, os cães são como bebês humanos: descobrem cheiros, texturas, sons, sabores, etc. Surge curiosidades e passam a colocar tudo na boca. Mas existe uma diferença grande entre nós e os animais. É que em poucos dias os dentinhos deles já começam a nascer e crescem rapidamente fortes e afiados, prontos para roer.

Siga O Mundo Cão no twitter

Cães não domesticados (selvagens) iniciam a exploração os arredores de onde vive sob supervisão da mãe. Eles testam seus limites medindo forças com seus irmãos e assim decidem sua posição no bando. Através de brincadeiras eles aprimoram suas habilidades de caça, luta, além de exercitar músculos, reflexos, mordidas e resistência.

importância do brinquedo para o cachorroMadona

Já os cães domesticados têm menos espaço e liberdade para tais comportamentos, mas o instinto não muda. Eles vão pular, rosnar, correr sem rumo, atacar móveis malvados, entre outras “loucuras”. Sua família é a matilha dele e suas ações devem ser guiadas pelo líder, caso contrário, ele vai liderar e acabar com tudo.

Foi por isso que criaram brinquedos específicos para os cães. Para que eles tivessem o que atacar sem prejudicar a casa de seus donos ou machucar alguém. Mas fique ligado, porque muitos dos brinquedos encontrados em pet shops são feitos para humanos e não para cães.

Agora que você já sabe sobre a importância dos brinquedos na vida de um cão, veja como escolher o brinquedo certo.

Latoya buscando a bolinha no parqueLatoya

Descartáveis: são aqueles do dia-a-dia. O cão pode morder à vontade, pode estragar  em minutos que não será repreendido. É interessante deixar seu cheiro no brinquedo, pois ele vai sempre procurar um objeto que tenha a sua identidade, assim, seus chinelos, suas roupas, sua bolsa estarão seguros.

Intermediários: são brinquedos que duram mais e os cães até podem estragá-lo, mas não quando você estiver por perto para não perder sua autoridade. Utilize esse brinquedo para educá-lo. Você determina a hora de dar o brinquedo. Você deve repreendê-lo se estiver tentando estragar o objeto. É um ótimo recurso para se estabelecer os limites do que ele pode ou não pode fazer.

Especiais: são aqueles que o cão elege para ser o seu brinquedo mais legal. Assim como as crianças, um objeto preferido, ajuda no desenvolvimento saudável dos cães. Você deve mostrar para ele que está cuidando e protegendo esse brinquedo. Sabendo disso, o cão fica tranquilo e você se torna um líder sensato e querido por ele.

Leve em consideração a idade, temperamento, porte físico do cão e função do brinquedo (segundo o Dr.Pet).

  • Para cães filhotes as melhores opções são mordedores de látex, bolinhas macias e maciças e ossos flexíveis, pois ajudam a aliviar a coceira na gengiva, devido à troca de dentes.
  • Para peludos adultos os proprietários têm uma variedade maior de opções. Osso de nó, de palito e de nylon maciço, mordedores de borracha ou corda e frisbee de látex são usados para distração e brincadeiras no parque.
  • Idosos devem ter uma atenção especial! O brinquedo deve ser macio, como um bicho de pelúcia ou ossos e não pode ser muito pesado para não incomodá-lo. Não deve machucar a gengiva nem exigir muito esforço físico.
  • Para cães tranquilos ou preguiçosos (como a Madona), brinquedos que fazem barulho pode estimular a brincadeira. Já para os agitados, os barulhentos podem deixa-lo ainda mais espoleta.
  • O cachorro que destrói todos os brinquedos (como a Latoya) precisa de bolas e cordas, com materiais mais resistentes – existem varias opções no mercado pet.
  • Se ligue no porte do cão. Os grandões podem engolir brinquedos muito pequenos e os cães menores podem não conseguir pegar a bolinha e outros brinquedos se forem muito grandes.

Observações:

Se você não tem problema em dar garrafa pet para seu cão, deixe as vazias sem rótulos e sem tampas para ele brincar (a Latoya amassa e usa as patinhas da frente para derrapar rs). Outras opções são galões de água vazios e coco verde sem água (para roer). Alguns objetos da sua casa  que você não usa mais podem se tornar brinquedos. Mas se certifique que não há como o cão se machucar ou engolir pecinhas (como a tampa da garrafa pet).

 
1 comentário

Publicado por em 6 de agosto de 2012 em Brinquedos, Comportamento, Dicas

 

Tags: , , ,

Madona e eu no Missão Pet com Alexandre Rossi

Em junho, no canal NatGeo Brasil, vai estrear a série Missão Pet com o zootecnista Alexandre Rossi, o famoso Dr. Pet. Ele vai ajudar animais de estimação com problemas de comportamento, melhorando o relacionamento entre pets e seus donos, COMO A MADONA E EU! Isso mesmo, pessoal. A Madona – minha são bernardo de 1 ano e 2 meses – vai ser a protagonista em um dos programas da série. Ela puxa com seus 80kg ao passear. Já fizemos de tudo e nada adiantou, então apelei pra o Alexandre Rossi. Ainda não há data de exibição (até porque ainda não foi gravado), mas assim que houver aviso a todos vocês.

Madona no missão petE se seu pet também dá um trabalhão pra você, mande um e-mail para queroparticipar@caocidadao.com.br e conte o caso do seu amigão.

 
7 Comentários

Publicado por em 24 de maio de 2012 em Sem categoria

 

Tags: , ,

Cachorro com medo de fogos: o que fazer?

Muitos cãezinhos sentem medo de fogos de artifício e rojões. O pinscher da minha tia se cortou todo no final do ano passado e outro dia o yorkshire de uma conhecida sumiu depois de sair correndo assustado por causa disso (encontraram o Cacau depois de 1 hora). Ou seja, esse medo pode machucar ou prejudicar muito os cães e como estamos em época de festas, decidi escrever sobre isso. Veja as dicas que levantei:

Siga O Mundo Cão no twitter

O primeiro a ser feito é escolher um lugar onde o peludinho se sinta aconchegado, como um quarto ou algum cômodo fechado para abafar o som. Esse local deve ser seguro, com janelas fechadas e longe de objetos que o seu cão possa se machucar.

Você pode acostumá-lo ao som dos fogos. Coloque para tocar em um nível baixo e distante desse ambiente, associe esse som a coisas agradáveis, como a brincadeira preferida dele ou o horário da comida. Vá aumentando o som aos poucos, sempre dando petiscos e brincando com cachorro quando notar que ele está calmo e tranquilo (você encontra CDs do tipo em pet shops).

Quando ouvir o som dos fogos, comemore, fique feliz, você é a fonte de segurança do seu amigão, então demostre que está tudo bem.

É muito importante que durante o treinamento você não dê broncas caso escape um xixi no local errado, isso pode deixá-lo ainda com mais medo e inseguro. Também não se abaixe, não faça muito carinho nele, nem o pegue no colo. Cães entendem essas atitudes como proteção contra algo perigoso.

Providencie uma plaquinha de identificação com o seu telefone, e deixe na coleira dele, caso ele escape alguém pode contatar você (Veja aqui como tirar o RGA). Cães em desespero correrem muitos quilômetros procurando abrigo. E é muito, muito importante NUNCA deixar seu cão amarrado com a guia, achando que isso pode deixá-lo mais calmo, ou que assim ele não irá escapar, pois em situação de pânico ele pode se prender em algum lugar, tentar se soltar e acabar se machucando ou sendo até sufocado. Olha que perigo!

Na noite de réveillon, deixe ligada a tv ou o rádio, tocando músicas tranquilas e num som mais alto para diminuir ainda mais o barulho dos fogos.

Se o seu cachorro não se sentir a vontade para brincar ou continuar com muito medo durante o treinamento, é recomendável procurar o auxilio de um veterinário. Existem casos que há a necessidade de iniciar um tratamento com medicamentos para acalmar o cão.

Fonte: Blog do Dr. Pet

 
Deixe um comentário

Publicado por em 22 de dezembro de 2011 em Dicas

 

Tags: , , ,

Cachorro com ciúme de outro cachorro

Se você está pensando em pegar um segundo cachorro deve-se preparar para resolver logo a questão do ciúme do primeiro. Sei bem o que passamos com a Madona quando chegamos em casa com a Latoya.

Siga O Mundo Cão no twitter

Pesquisei para saber como deveria agir e encontrei uma dica do Dr. Pet e posto aqui pra vocês:

Normalmente, quando estamos acariciando um cachorro o outro chega voltamos a nossa atenção para o segundo, esquecendo o primeiro. Isso faz despertar um ciuminho brabo, já que o cachorro percebe que quando o outro chega ele perde o carinho, a atenção do dono. Ele pode começar a demonstrar esse ciúme de forma agressiva a você ou ao segundo peludinho.

O truque é: quando estiver fazendo carinho em um dos cachorros e o outro chegar, continue fazendo carinho no primeiro. E um carinho até mais gostoso, mais intenso. Dê também um petisco a ele. Isso significa que o cachorro que acabou de chegar não vai receber carinho, mas o importante é que o primeiro relacione a chegada do outro a algo prazeroso.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 25 de novembro de 2011 em Comportamento

 

Tags: , , ,

Como controlar o ciúme que seu cão tem de você

Alguns peludinhos acham que são donos da gente. Em alguns casos, o cachorro se torna chato (de tanto latir) e até agressivo, partindo pra cima da sua visita.

Siga O Mundo Cão no twitter

Alexandre Rossi, o Dr. Pet, dá dicas para controlar esse comportamento:

Quando alguém vier conversar com você e seu cachorro começar a latir, fazer barulho ou ficar agressivo, o que se deve fazer é mostrar que ele não é seu dono. Para isso, dê broncas nele quando demonstrar o ciúme.

Quem deve dar a bronca é quem está sendo protegido e não quem é o alvo do ataque do cão. Por exemplo: Chega uma amiga em sua casa e o amigão começa a rosnar, latir, mostrar os dentes. Nessa hora VOCÊ dá bronca e não sua amiga. A visita dela deve ser prazerosa ao cachorro, por isso sua amiga deve fazer carinho, dar petiscos para ele fazer uma agradável associação da chegada dela.

 
2 Comentários

Publicado por em 25 de novembro de 2011 em Comportamento, Dicas

 

Tags: , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: