RSS

Arquivo da categoria: Comportamento

Imagem

InformaCão | Novembro 2012 – Cursos e Palestras

Anúncios
 

Tags: ,

Perguntas frequentes sobre cachorros

Algumas perguntas são bem frequentes entre a maioria dos donos de cães, mas pra quase tudo nessa vida há respostas. Basta achar a pessoa certa pra responder, né? Vi no bilbops.multiply.com as perguntas que eles fizeram para Alexandre Rossi, que respondeu tudo na exclusiva. Confira:

Por que os cães gostam de por a cabeça para fora da janela do carro?
Alexandre: “O carro não é vedado, portanto o cão é submetido a uma série de cheiros e estímulos em um passeio motorizado. O ato de colocar a cabeça para fora tem basicamente dois motivos: o cachorro é estimulado pelos milhares cheiros que o vento trás diretamente ao focinho e, além disso, a sensação de ‘vento no rosto’ é gostosa para o animal, já que a maioria dos cães sente muito calor”.

Boca aberta é sinal de sede sempre?
Alexandre: “Não, as pessoas se enganam muito. A maioria dos cachorros mantém a boca aberta para amenizar o calor que sentem e nem sempre estão com sede. Uma maneira de saber se o cão está com sede é perceber se ele se mantém muito ofegante. Se você colocar água ao lado do seu amigo e ele desprezar, não se preocupe. Se esse não for um hábito constante, ele apenas está com calor. Caso contrário, leve seu bicho a um veterinário”.

Por que os cães andam em círculos antes de deitar?
Alexandre: “Há algumas hipóteses para responder essa pergunta. Como o tato do cachorro está nas patas, ele circula a região antes de deitar para verificar se a superfície está livre de obstáculos que gerem desconforto. Alguns bichos cavam um pouco a grama para chegar perto da terra úmida e ter um ninho mais fresco para descansar. Além disso, eles procuram ao rodear, sentir a direção do vento, para deitar-se com o focinho virado para ele. Assim, se um intruso ou perigo se aproximar, o cachorro será acordado pelo cheiro em sua direção”.

Por que os cachorros se lambem e lambem uns aos outros?
Alexandre: “A lambida está ligada a um estímulo da pele, como se fosse uma massagem. Nos filhotes, por exemplo, se a mãe não lamber as partes genitais dos filhos para estimular a evacuação, eles acabam morrendo porque não fazem as necessidades. Em geral, a lambida do cão nele mesmo é uma automassagem. Quando o cão não pára de se lamber chegando inclusive a se ferir, trata-se de um comportamento compulsivo por estresse. Daí você deve levar seu bicho ao veterinário”.

Por que os cães enterram objetos?
Alexandre: “Algumas raças tem a característica comum de esconder comida para estocar. Cães caçadores, por exemplo, fazem isso de maneira constante. O ato de cavar também está associado a buscar algo pelo cheiro, por exemplo, procurar um osso enterrado por outro cachorro. Além disso, para eles cavar é muito divertido já que eles descobrem outros cheiros e novos seres como minhocas e formigas. Outros bichos ainda cavam para preparar o lugar para deitar”.

Por que cães perseguem gatos?
Alexandre: “O cão é um animal predador e o gato se comporta como uma presa perfeita já que o comportamento dele estimula o instinto de caça do cachorro. O cão adora esse comportamento do gato, que se arrepia quando o vê e tenta fugir. Entende isso como uma brincadeira e passa a registrar que é assim que deve ser, cachorro deve correr atrás de gato e pronto”.

Por que alguns cães correm atrás do próprio rabo?
Alexandre: “Correr atrás do rabo está ligado a um alívio de ansiedade. Quando o cão está muito ansioso procura algo para se divertir e essa atividade ocupa seu tempo. Portanto, não subestime a inteligência de seu amigo, ele não faz isso porque é bobo. Apenas quando essa ação é muito constante vira compulsivo, daí é necessário procurar um especialista”.

Outras dúvidas como as abaixo, o bilbops.multiply.com tirou de um livro que é sucesso no mundo todo: Por que os Cães são Assim, de Tom Davis, editado no Brasil pela Publifolha.

Por que cães adultos mastigam ossos, tapetes e móveis?
Mastigar itens proibidos é uma forma de chamar a atenção do dono. Para o cachorro é melhor se arriscar a receber uma bronca do que permanecer invisível. O fato de roer ossos é um instinto primitivo deles, já que se trata de uma maneira de limpar os dentes e manter as gengivas saudáveis.

Por que os cães insistem em dormir na cama com você?
Que ser não teria amor-próprio e iria preferir o chão gelado e duro a uma cama quente e macia e ainda do seu lado? Eles preferem porque depois que sentem o conforto disso, imaginam que aquele é um local privilegiado e portanto, seguro e repleto de amor, lugar em que de qualquer maneira, conseguem a atenção total do dono.

Por que os cães parecem entender nosso estado de espírito?
Os cães conhecem seus donos e são capazes de ler linguagem corporal e captar sutis inflexões de voz, maneira e conduta de maneira extraordinária. Os cães são muito empáticos, capazes não só de entrar em sintonia com nosso comprimento de onda emocional, mas de nos dar tudo o que precisamos: uma lambida, um carinho ou consolo.

Por que os cães adoram morder chinelos e sapatos?
Cães adoram morder, para eles é um exercício. Geralmente, chinelos e sapatos se encaixam perfeitamente na boca dos cachorros e são atrativos perfeitos visto que possuem cheiro tentador. Além disso, os sapatos são flexíveis e constituem o brinquedo perfeito ou a forma eleita de chamar a atenção do dono, como já dissemos anteriormente.

Por que os cães machos levantam a perna para urinar?
Simplesmente por dois motivos: eles levantam a pata para evitar que a urina escorra para a outra pata e procuram urinar o mais alto possível para marcar o território e anunciar a outros cães que ele esteve ali. Portanto, é verdade, o macho urina mais para demarcar seu espaço a outros, em uma competição entre meninos que é constante.

Por que os cães sobem na perna de visitas?
Esse é o modo que a natureza tem de prepará-los para o ato sexual, em outras palavras, só a prática leva à perfeição, e para os cachorros não é diferente. Algumas fêmeas costumam arquear a perna, quase que tentando determinar sua identidade sexual quando novinhas.

 
10 Comentários

Publicado por em 30 de outubro de 2012 em Comportamento, Curiosidades

 

Tags: ,

Por que que os cães latem?

Para quem não tem cachorros, latidos são todos iguais, mas para quem convive com eles é fácil perceber que os latidos soam diferentes: chato, engraçado, sofrido, alto… O que não sabemos é o porquê são diferentes e as causas que levam os cães a latirem.

Mundo Cão no Twitter e no Facebook

porque-os-cachorro-latem

O ladrado é uma forma de comunicação de cães para cães e para humanos. Quando ele late, pode ser por uma das seguintes razões:

  • O cão está ansioso: quando o cão fica ansioso, sente-se sozinho ou abandonado ele pode começar a latir.
  • Quando você vai embora seu cão pode latir por causa da separação.
  • O cão quer emitir um alerta ou aviso, pois ouviu, viu ou farejou algo suspeito.
  • Ele viu outro cão ou ouviu outro cão latindo e quer interagir com ele.
  • cão quer brincar com você ou outro cão.
  • cão assustou-se com algo.
  • Ele quer chamar a atenção.

O latido é a língua dos cães? É como uma língua. O latido é para que um cão se comunique com outros. É uma forma de expressão que serve para passar mensagens simples. Por que eles latem e o que querem transmitir? É difícil entender exatamente o que seu cão quer dizer ao latir, mas é possível perceber alguns padrões no latido. Conheça alguns tipos de ladrados e seus significados:

  • Latido agudo – Geralmente, o latido agudo, esse que faz doer nossos ouvidos, pode significar dor. Parece um choro. Mas se o agudo for agressivo (é fácil perceber), ele está com medo.
  • Latido longo e contínuo – Esse pode ser um latido para se comunicar com outros cães ou alertar cães que possam ser ouvidos a longas distâncias.
  • Latido excessivo – Latir sem parar, ele pode estar com fome, sede ou medo.
  • Cães latem quando ouvem latidos – Ele vai responder a latidos de outros cães. São latidos altos, mas suaves. Você vai perceber que o som soará menos rouco e numa frequência média, como se ele esperasse alguém responder, como uma conversa.
  • Latindo de madrugada – Durante a noite eles ficam mais atentos aos barulhos. Assim, qualquer barulhinho, ele mostra que está alerta ao latir.
  • Latindo para chamar atenção – Cães mimados latem quando o dono não está fazendo o que ele quer. O latido pode vir com chorinhos, pois ele quer ganhar você. Em outros casos, o latido pode ser agressivo como uma bronca, pois ele domina você, que não está obedecendo uma ordem dele.

A melhor maneira de compreender o que o cachorro está dizendo ao latir é observar sua postura e seus movimentos. Quando quer brincar, por exemplo, ele late suave e baixo, pula de um lado para o outro e abaixa as patas da frente levantando o rabo. Quando está ameaçando algum inimigo em potencial (como ruídos), ele late alto e rouco e dá passos para frente.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 27 de agosto de 2012 em Comportamento, Curiosidades

 

Tags: , ,

Como evitar disputas entre cães

Os cães são animais que vivem em grupos, em bando, inclusive compostos por humanos e outros animais. Acontece que para os cães a hierarquia e a posição social dentro de um bando é muito importante e alguns fatores podem levar a brigas entre eles.

Mundo Cão no Twitter e no Facebook

Estou com esse problema em casa. A minha dálmata, a Latoya, está chegando à maturidade, por isso ela está buscando seu lugar no nosso bando e, pra isso, resolveu “derrubar” a Madona, a são bernardo, de sua posição agredindo-a e impedindo-a de chegar perto dos brinquedos e das pessoas.

Como evitar brigas entre os cães

Pra tentar resolver esse caso, pesquisei sobre o que pode levar um cão a uma briga e como evitar. Compartilho com vocês o que encontrei:

Respeite a hierarquia

Primeiro, você deve ser o líder. Abaixo de você e das demais pessoas que convivem com os cães, perceba qual deles está na posição mais altar de hierarquia e privilegie este, caso contrário, ele pode querer atacar o outro cão por desrespeito. Dê a ele primeiro os petiscos, a comida e os brinquedos.

Como reconhecer o grau hierárquico? É fácil: ele controla tudo, costuma ser observado e seguido, é respeitado pelo(s) outro(s) cachorro(s). O que está abaixo na escala, normalmente, coloca o rabo entre as pernas, lambe a boca do outro e dá outros sinais de submissão.

Evite disputas por alimento e objetos

Se você perceber que determinado objeto ou alimento causa briga entre os cães (como osso), evite usá-lo. Ou, então, só o ofereça quando os cães estiverem separados. O mais prudente é servir a comida isoladamente ou sob supervisão humana, para evitar conflitos desnecessários.

Não dê bola a pequenos desafios

Dar atenção a cães que se desafiam em pequenas brigas pode torná-las mais frequentes só para chamar a nossa atenção. Interferir nessas disputas tão comuns também pode atrapalhar a definição da liderança e resultar em mais brigas posteriormente.

Castração pode ajudar

Brigas ocorrem mais entre cães do mesmo sexo. A castração pode ajudar a reduzir esses conflitos, tanto entre machos como entre fêmeas (elas tendem a ficar mais agressivas no cio).

Convívio constante

Só separe os cães se houver necessidade. Quando eles ficam sem contato por algum tempo e depois voltam a estar juntos, podem se mostrar mais dominantes em relação ao território e aos objetos disponíveis. O resultado provável é haver brigas mais sérias. Se possível, mantenha o convívio entre os cães, mesmo depois de pequenos conflitos entre eles.

Exerça forte liderança

A maior parte das brigas ocorre quando o proprietário resolve interagir com os cães, brincando ou acariciando. Para evitá-las, é preciso demonstrar forte liderança e não permitir provocações e rosnados que possam evoluir para briga.

Lidando com momentos críticos

Existem situações que favorecem o começo de brigas. Por exemplo, voltar de um passeio feito com somente um dos cães, que não seja o dominante do grupo. Nesse momento, para os cães não ficarem se cheirando ou se confrontando, deve-se criar um foco diferente de atenção. Por exemplo, ao chegarem ofereça um petisco ao cão dominante e, em seguida, aos demais. Assim, todos prestarão atenção em você, em vez de um tentar controlar o outro.

Fonte: Revista Cães & Cia, n. 307, dezembro de 2004

Reconheça os sinais pré-briga

  • Aproximação lenta e caltelosa
  • Corpo ereto e tenso
  • Olhar fixo no outro
  • Cauda pra cima
  • Pelos eriçados

Quando perceber esses sinais, use biribinhas, chocalhos ou alguma coisa que faça-os desviar a atenção. Assim você pode evitar que a briga aconteça.

Lembre-se:

  • Nunca cause ciúmes
  • Não repreenda com agressões físicas
  • Não recompense o mal comportamento – ou seja, não dê petiscos ou carinho depois de uma briga, mesmo que seja apenas tocar em uma ferida
  • Não estimule o início da briga – quando perceber que os cães vão começar uma briga, evite usar seus nomes, pois eles podem compreender como “ataque!”

Posts relacionados:

Vai pegar outro cão? Veja como evitar brigas

Cachorro com ciúme de outro cachorro

 
Deixe um comentário

Publicado por em 16 de agosto de 2012 em Comportamento, Dicas

 

Tags: , ,

Diferença entre psicologia canina e humana

Quem conhece o encantador de cães, Cesar Millan, e o Dr. Pet, Alexandre Rossi, já deve ter percebido a diferença entre a psicologia canina e a humana. São dois famosos especialistas, mas um trabalha com comportamento e estado mental e o outro, com adestramento.

Mundo Cão no Twitter e no Facebook

A diferença:

A psicologia canina é baseada no comportamento e no instinto do cão. O animal dá sinais que devem ser compreendidos e a partir disso, trabalhados.

Nesse caso, a reabilitação (e não adestramento) do cão é baseada no que ele precisa e quer, mas não de forma mimada. Quando um cachorro está ansioso, agressivo, obsessivo isso significa que algo está errado e que seu dono não está compreendendo o que ele quer.

Para trabalhar com psicologia canina, devemos ser calmos e assertivos (como diz Millan), compreender os sinais e trabalhar como um cão trabalharia – fazendo sons, gestos e usando posturas de cães.

Cesar Millan usa os dedos para “morder”, usa o “xiiii” como um rosnado e ensina as pessoas a serem líderes do bando (família). O humano se torna cão.

Já a psicologia humana é baseada no que o ser humano quer e no comportamento humano. Nós é que passamos sinais do que queremos, mas antes ensinamos ao cão como compreender.

Quem trabalha com a nossa psicologia é chamado adestrador. Através de recompensas o cão acaba aprendendo alguns comandos, fazendo com que o comportamento agressivo, obsessivo ou ansioso seja administrado.

O Alexandre trabalha dessa forma. Seus instrumentos são: petiscos, brinquedos, borrifador de água, biribinhas, e outro objetos humanos. O cão é humanizado.

Para entender melhor, você pode comparar o trabalho de um adestrador e de um psicólogo canino. Para ver o Alexandre Rossi em ação, assista Missão Pet às quartas-feiras – 22h30 no NatGeo. E para conhecer o trabalho do Cesar Millan, veja ‘O encantador de cães’ no Animal Planet diariamente às 21h.

 
1 comentário

Publicado por em 8 de agosto de 2012 em Adestramento, Comportamento, Sem categoria

 

Tags: , , , , , ,

A importância dos brinquedos para cães

Quando nascem, os cães são como bebês humanos: descobrem cheiros, texturas, sons, sabores, etc. Surge curiosidades e passam a colocar tudo na boca. Mas existe uma diferença grande entre nós e os animais. É que em poucos dias os dentinhos deles já começam a nascer e crescem rapidamente fortes e afiados, prontos para roer.

Siga O Mundo Cão no twitter

Cães não domesticados (selvagens) iniciam a exploração os arredores de onde vive sob supervisão da mãe. Eles testam seus limites medindo forças com seus irmãos e assim decidem sua posição no bando. Através de brincadeiras eles aprimoram suas habilidades de caça, luta, além de exercitar músculos, reflexos, mordidas e resistência.

importância do brinquedo para o cachorroMadona

Já os cães domesticados têm menos espaço e liberdade para tais comportamentos, mas o instinto não muda. Eles vão pular, rosnar, correr sem rumo, atacar móveis malvados, entre outras “loucuras”. Sua família é a matilha dele e suas ações devem ser guiadas pelo líder, caso contrário, ele vai liderar e acabar com tudo.

Foi por isso que criaram brinquedos específicos para os cães. Para que eles tivessem o que atacar sem prejudicar a casa de seus donos ou machucar alguém. Mas fique ligado, porque muitos dos brinquedos encontrados em pet shops são feitos para humanos e não para cães.

Agora que você já sabe sobre a importância dos brinquedos na vida de um cão, veja como escolher o brinquedo certo.

Latoya buscando a bolinha no parqueLatoya

Descartáveis: são aqueles do dia-a-dia. O cão pode morder à vontade, pode estragar  em minutos que não será repreendido. É interessante deixar seu cheiro no brinquedo, pois ele vai sempre procurar um objeto que tenha a sua identidade, assim, seus chinelos, suas roupas, sua bolsa estarão seguros.

Intermediários: são brinquedos que duram mais e os cães até podem estragá-lo, mas não quando você estiver por perto para não perder sua autoridade. Utilize esse brinquedo para educá-lo. Você determina a hora de dar o brinquedo. Você deve repreendê-lo se estiver tentando estragar o objeto. É um ótimo recurso para se estabelecer os limites do que ele pode ou não pode fazer.

Especiais: são aqueles que o cão elege para ser o seu brinquedo mais legal. Assim como as crianças, um objeto preferido, ajuda no desenvolvimento saudável dos cães. Você deve mostrar para ele que está cuidando e protegendo esse brinquedo. Sabendo disso, o cão fica tranquilo e você se torna um líder sensato e querido por ele.

Leve em consideração a idade, temperamento, porte físico do cão e função do brinquedo (segundo o Dr.Pet).

  • Para cães filhotes as melhores opções são mordedores de látex, bolinhas macias e maciças e ossos flexíveis, pois ajudam a aliviar a coceira na gengiva, devido à troca de dentes.
  • Para peludos adultos os proprietários têm uma variedade maior de opções. Osso de nó, de palito e de nylon maciço, mordedores de borracha ou corda e frisbee de látex são usados para distração e brincadeiras no parque.
  • Idosos devem ter uma atenção especial! O brinquedo deve ser macio, como um bicho de pelúcia ou ossos e não pode ser muito pesado para não incomodá-lo. Não deve machucar a gengiva nem exigir muito esforço físico.
  • Para cães tranquilos ou preguiçosos (como a Madona), brinquedos que fazem barulho pode estimular a brincadeira. Já para os agitados, os barulhentos podem deixa-lo ainda mais espoleta.
  • O cachorro que destrói todos os brinquedos (como a Latoya) precisa de bolas e cordas, com materiais mais resistentes – existem varias opções no mercado pet.
  • Se ligue no porte do cão. Os grandões podem engolir brinquedos muito pequenos e os cães menores podem não conseguir pegar a bolinha e outros brinquedos se forem muito grandes.

Observações:

Se você não tem problema em dar garrafa pet para seu cão, deixe as vazias sem rótulos e sem tampas para ele brincar (a Latoya amassa e usa as patinhas da frente para derrapar rs). Outras opções são galões de água vazios e coco verde sem água (para roer). Alguns objetos da sua casa  que você não usa mais podem se tornar brinquedos. Mas se certifique que não há como o cão se machucar ou engolir pecinhas (como a tampa da garrafa pet).

 
2 Comentários

Publicado por em 6 de agosto de 2012 em Brinquedos, Comportamento, Dicas

 

Tags: , , ,

Como lidar com cachorros que mordem

Cães são fofos, são engraçados e são amigos, mas não é só isso. São relatados todos os anos entre meio e um milhão de casos de mordida. Cerca de 60% desse total é de ataque a crianças menores de 12 anos (veja porquê). Machos não castrados são os que mais mordem.

Siga O Mundo Cão no twitter

Raças mais comuns entre os ataques:

  • Chow-chow
  • Rottweiler
  • Pastor alemão
  • Cocker spaniel
  • Dálmata

Para evitar acidentes com mordidas, é preciso entender o que está acontecendo com o cão e tomar atitudes que vão deixa-lo mais calmo, tranquilo e menos agressivo.

Cão dão sinais de que vão morder. Quando alguém ignora seus avisos e passa do limite que o cão está impondo, acaba em abocanhadas.

Sair correndo, sentir medo e gritar são coisas comuns que as pessoas fazem antes de serem mordidas, mas foram exatamente essas atitudes que levaram o cão a não confiar na vítima e, para se defender, ele acaba mordendo. Em caso de cães menos agressivos, ele pode interpretar isso como brincadeira, ativando o extinto de caça e perseguição.

Entenda os sinais

A linguagem clássica corporal canina que sinaliza que está pronto para morder inclui:

  • Encarar
  • Mostrar os dentes
  • Rosnar
  • Pernas esticadas (parecendo na ponta dos pés)
  • Pelos dos ombros, costas e posterior eriçados
  • Cauda esticada balançando em movimentos rápido
  • Quando a cabeça do cachorro abaixar e as orelhas ficarem juntas ao corpo, é hora do ataque

Por que cães mordem?
O ataque pode ser por medo, defesa, dor ou para proteger o território. São motivos que podem ser difíceis de detectar. Um especialista pode ajudá-lo a descobrir a razão pela qual seu cachorro morde e pode desenvolver uma estratégia para mudar esse comportamento. Socializar com outras pessoas e com outros cães ou ensinar a família a deixar o cachorro sossegado enquanto estiver comendo, dormindo ou se escondendo é muito simples.

Dicas para evitar mordidas

  • Se aproximando do cachorro

Se a permissão for concedida, deixe que o cachorro cheire sua mão aberta antes de fazer carinho nele. Dê tempo para que ele se acostume com o seu cheiro e perceba que nada de ruim vai acontecer. Caso o animal demonstre algum receio, fique longe.

  • Acaricie o cachorro debaixo do queixo primeiramente

Esse é o lugar menos ameaçador. Fazê-lo na cabeça pode ser considerado preocupante para o animal, então, até ele sentir-se confortável e seguro, apenas faça um afago no queixo.

  • Balançar o rabo nem sempre é sinal de segurança

Não se esqueça, mesmo se um cachorro estiver balançando o rabo, isso não significa que ele é amável. Prefira ficar na defensiva.

  • O que fazer se um cachorro bravo se aproximar

Se estiver caminhando e um cachorro se aproximar sem coleira, ou sem um dono, fique firmemente de pé. Não se mova, não fale; mantenha suas mãos dos seus lados e mantenha a calma. Olhe ao redor procurando pelo dono do cachorro e novamente, mantenha a calma, pois se demonstrar medo, o animal percebe e pode avançar.

  • Não tente acariciar um cachorro em um carro ou na traseira de um caminhão, através de uma cerca ou dentro da casinha (ou o abrigo dele).

Os cachorros se sentem confortáveis nesses lugares e podem pensar que seu lar está sendo ameaçado. São exatamente parecidos como seres humanos neste caso, se mexem com seu lar, suas atitudes são imprevisíveis.

  • Nunca importune ou jogue objetos em um cachorro

Além de pura maldade, é no mínimo uma ação de quem não tem o mínimo de respeito pelos animais. Não somente é um sinal de agressão, mas você pode machucar o cachorro e fazê-lo atacar.

  • Uma coisa que você nunca deve fazer é tirar comida de um cão

Nenhuma espécie de animal tolera que tirem seu alimento. Quando isso ocorre, podem ficar agressivos para defender o que lhes pertence. Então, jamais faça isso com um cão.

 
15 Comentários

Publicado por em 26 de julho de 2012 em Comportamento, Dicas

 

Tags: , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: